O que é Ecommerce B2B? Entenda de uma vez por todas esse mercado em expansão.

O que é Ecommerce? Entenda de uma vez por todas esse mercado em expansão e porque ele é importante para seu negócio! ecommerce

O Brasil superou a marca de um smartphone por habitante e hoje conta com 220 milhões de celulares inteligentes ativos (FGV-SP).

É cada vez mais comum os usuários se utilizarem dessas tecnologias em sua atividades diárias.  Logo, muitas empresas no intuito de aumentar suas vendas enxergam nesta tecnologia mais uma oportunidade de alcançar pessoas e ter melhores resultados. De que forma? Através da experiência de compra online. Uma categoria deste segmento em bastante expansão no mercado brasileiro é o Ecommerce, então mostraremos de uma vez por todas o que é, como funciona e tudo que você precisa saber sobre esse mercado em expansão.

O que você verá neste conteúdo:
 – O que é Ecommerce;
 – Como funciona;
 – Tipos de Ecommerce;

1. O que é Ecommerce?

Vamos começar pela tradução da palavra que já diz muito sobre seu significado, comercio eletrônico, que quer dizer vendas online ou vendas pela internet. A tradução já diz muito né? Pois é, mas não é só isso, o ecommerce é uma modalidade de comercio dentro do meio virtual onde todas as transações financeira acontecem sem intermédio, através de computadores, celulares e tablets usando. Outro ponto importante é que ecommerce traz produtos apenas de uma única loja ou fabricante. Ou seja, nem toda forma venda pela internet pode ser considerada ecommerce, mas calma vou te explicar melhor a seguir.

 

1.1. A diferença entre Ecommerce e marketplace

 

Para facilitar o entendimento usarei a comparação com o marketplace.

O marketplace por exemplo também é um canal venda online, no entanto, neste caso trata-se de uma plataforma onde se incluem várias lojas e geralmente essa plataforma faz o intermédio entre o consumidor e a loja no que diz respeito os processo de cobrança, entrega e qualidade do produto vendido.


Imagine uma situação hipotética em que há um grande galpão com lojas diferentes onde cada uma tem seu espaço para expor produtos e vende-los. O espaço destinado para essas lojas são padronizados e precisam atender determinadas regras estabelecidas pela administração do galpão para funcionar. Neste caso também, o cliente final, após passear por todas as lojas e escolher os produtos, têm que efetuar o pagamento em um único caixa gerenciado pelo Galpão. Imaginou? Pronto, agora imagina a mesma situação no meio digital e você terá a definição de marketplace.

Se você pensou em Mercado Livre, OLX, Netshoes e até Airbnb, significa que você entendeu bem o conceito de marketplace.


Quando se trata de ecommerce o cenário é diferente.
Desta vez pedirei para que você imagine uma loja toda personalizada com logotipo e as cores da sua identidade visual, neste caso vendendo apenas seus produtos e os expondo e criando campanhas promocionais quando bem desejar. Todo gerenciamento financeiro, logístico e controle de qualidade é feito pela própria loja. Pois bem, se mudarmos tudo isso para o cenário virtual, você terá a definição de ecommerce.

2. E-commerce B2B e B2C é tudo igual?

Não, o conceito de venda virtual pode ser igual mas no caso do  ecommerce B2B (business to business) a plataforma é voltada para clientes específicos e vendas entre empresas, não para público final. Dependendo da complexidade e abrangência do projeto os requisitos técnicos são cruciais no cenário B2B, neste caso o sistema precisa ser preparado para as especificidades deste segmento e flexíveis o suficiente para cada modelo comercial.


2.1 Requisitos do cenário B2B


  •  – Múltiplas tabelas de preços: Ao contrário do B2C, no B2B os preços variam de acordo com a estratégia do vendedor, quantidade do pedido, clusterização de praça e nível de cliente, etc;
  •  – Múltiplos perfis de clientes: como citado acima, existem agrupamento de clientes que tem condições de preço e prazo diferentes por uma série de fatores, como, sazonalidade, campanha de segmento específico, etc;
  •  – Múltiplas forma de pagamento: Muitas vezes as formas de pagamento tradicionais como cartão de crédito, boleto ou deposito bancário fica inviável para alguns clientes, por isso é necessário também que a plataforma gerencie pagamentos faturados, Cartão BNDES, duplicata, etc;
  •  – Navegação personalizada: perfil de clientes que compram em larga escala, ou seja, 10mil a 20mil produtos com itens diferentes, é necessário que tenham uma navegação adaptada para o fluxo de compra;
  •  –  Regras fiscais: geralmente vendas B2B lidam com cálculo de impostos que variam por estado, produtos, etc.


Então imagina aí: quantas regras de endereçamento é necessário criar para as vendas B2B? Incontáveis.
Esse são só alguns pontos que normalmente existem na grande maioria das empresas atuante desse mercado.